Como funciona o FUMDECA?

Você pode destinar 6% (ou sua empresa, 1%) do seu imposto de renda para os projetos da Casa do Bom Menino através do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, sem precisar pagar nem um centavo a mais. Assim, você ajuda a promover educação, saúde, recreação, esporte, cultura, lazer e profissionalização para centenas de crianças e adolescentes de Piracicaba.

O Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fumdeca) é um recurso criado para promover ações que garantam os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) . Ele é administrado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), que direciona as verbas para as instituições beneficiadas.

Através do FUMDECA podem ser financiados os projetos “Nós no Mundo”, “Menino Gourmet” e “Sentidos”, todos desenvolvidos pela Casa do Bom Menino de Piracicaba

É um projeto cultural e esportivo, que visa intensificar a convivência social e comunitária de adolescentes em situação de acolhimento institucional, criando condições e possibilidades vivenciais que estimulem positivamente o desenvolvimento físico, emocional, psicológico, cultural e social dos atendidos, de forma que estes consigam superar as limitações impostas pelo meio e adquiram autonomia, pensamento crítico e condições de escolher seu próprio caminhoÉ um projeto cultural e esportivo, que visa intensificar a convivência social e comunitária de adolescentes em situação de acolhimento institucional, criando condições e possibilidades vivenciais que estimulem positivamente o desenvolvimento físico, emocional, psicológico, cultural e social dos atendidos, de forma que estes consigam superar as limitações impostas pelo meio e adquiram autonomia, pensamento crítico e condições de escolher seu próprio caminho. O projeto será desenvolvido a partir de 4 eixos norteadores:

Além do jogo: Através da formação de um time de futsal masculino, com nome, uniforme e treinamento sistemático e semanal, temos o objetivo de aperfeiçoar as habilidades dos adolescentes, levando-os para participar sistematicamente de amistosos, com demais times advindos de escolas, clubes, etc. A ideia não é segregar ainda mais os adolescentes em situação de acolhimento, mas sim desestigmatizá-los, fazendo com eles se insiram na comunidade e nos espaços de sociabilidade de forma mais harmônica, saudável e positiva. O efeito dessa iniciativa será fortalecê-los, do ponto de vista emocional e de auto-estima, para que eles sintam-se capazes em adentrar outros espaços, times e clubes num momento posterior. Também almejamos trabalhar conceitos de regras, limites e de trabalho em equipe, através da dedicação dos acolhidos para com o time. A meta é que o time do CBM participe de amistosos e de campeonatos regionais ao longo do ano de 2018 e que alguns jogadores destaques, possam ser assimilados em outros times do município, por meio de “peneiras”, visando uma possível atuação profissional futuramente.

 

Nós na cidade: As saídas culturais em pequenos grupos acontecerão semanalmente, e contará com um profissional que mapeará todas as opções culturais que o município apresenta. Estas saídas têm como objetivo ampliar o repertório simbólico e cultural da criança e do adolescente, de forma que ele se aproprie de outros espaços, buscando novas referencias de pertencimento na sua cidade. Os locais a serem visitados podem ser ambientes de trabalho, espaços públicos, alternativas culturais, como cinema, concertos, shows, festivais, etc. Contaremos com o transporte público do município, onde trabalharemos a autonomia do acolhido em cada experiência fora do abrigo.

 

O corpo é meu: Através de uma abordagem lúdico-pedagógica de cultura corporal, buscaremos auxiliar os atendidos no seu desenvolvimento físico, cognitivo e social, de modo estimular o respeito ao próximo, o cuidado consigo e com os demais, o reconhecimento do seu corpo e suas particularidades, favorecendo assim aos jovens a capacidade de equacionar e solucionar problemas do cotidiano de forma assertiva e pacífica. Todas as atividades serão feitas de maneira dinâmica, interativa e divertida, ressaltando a importância do brincar como atividade fundamental para o desenvolvimento físico, emocional e social humano. Nas atividades, buscaremos ressaltar o reconhecimento corporal de cada sujeito, possibilitando uma melhor compreensão de si e do outro, favorecendo assim, o desenvolvimento de uma identidade descolada da cultura de massa a que estamos submetidos na atualidade.

 

Crescer: Essas atividades são voltadas ao público infantil e acontecerão semanalmente, em espaço externo ao Serviço e terá duração de 1h30. Serão criados circuitos, jogos, brincadeiras, etc. Por meio do brincar, são evidenciados fatores cognitivos e emocionais que direcionam esta atividade, além da dimensão afetiva que permeiam as interações sociais. Através da utilização dos jogos e brincadeiras é possível trabalhar não só a aprendizagem em si, mas também o raciocínio lógico, a memorização, regras e estímulo ao conhecimento, como também aspectos psicológicos e emocionais, auxiliando-os a desenvolverem uma capacidade de lidar com seu entorno, desenvolvendo habilidades emocionais e de comportamento, permitindo além de brincar, uma exploração e demonstração de sentimentos e ansiedades em relação a si e ao mundo.

 

Projeto de capacitação e profissionalização de jovens no setor da alimentação. Trata-se manutenção de um local apropriado com equipamentos necessários para a produção de um serviço de Buffet, incentivando o aprendizado de forma lúdica para as crianças, além de estimular a educação, o aprendizado e a profissionalização de adolescentes com foco no encaminhamento do jovem para o mercado de trabalho. É preciso trabalhar a auto-estima desses jovens, fazendo com que eles se sintam capazes de mudar e transformar a realidade social em que vivem.Projeto de capacitação e profissionalização de jovens no setor da alimentação. Trata-se manutenção de um local apropriado com equipamentos necessários para a produção de um serviço de Buffet, incentivando o aprendizado de forma lúdica para as crianças, além de estimular a educação, o aprendizado e a profissionalização de adolescentes com foco no encaminhamento do jovem para o mercado de trabalho. É preciso trabalhar a auto-estima desses jovens, fazendo com que eles se sintam capazes de mudar e transformar a realidade social em que vivem.

Além das crianças e adolescentes acolhidas na instituição e seus familiares, o projeto pretende ampliar seu atendimento para população de baixa renda, encaminhados pela rede sócio-assistencial, com o intuito de promover aos acolhidos uma convivência comunitária, que possibilite a socialização e o conhecimento de outras pessoas, serviços e realidades.

O projeto Menino Gourmet vem se mostrando um grande sucesso, conseguindo alcançar os objetivos almejados. Capacitamos nossos jovens, os inserimos no mercado de trabalho e desenvolvemos neles habilidades de comunicação, trabalho em equipe, tolerância, regras e limites no ambiente de trabalho, vendas, etc. Também atendemos crianças através de oficinas lúdicas com uma psicopedagoga que realiza um prato associado a um aprendizado, seja na matemática, história, biologia, etc. A psicopedagoga também atende individualmente os jovens com grande defasagem escolar, desenvolvendo-o também na esfera escolar.

As atividades do projeto acontecem semanalmente, tanto em nossa cozinha-escola, quanto em salas de atendimentos. Temos ainda, atividades de produção, onde confeccionamos alguns produtos de nosso cardápio. A renda da venda desses produtos é dividida entre os adolescentes, conforme sua participação e dedicação no projeto.

Seu objetivo é promover a contínua formação de profissionais que atuam no serviço de acolhimento, promovendo processos de reflexão coletiva sobre as ações e práticas cotidianas, bem como sobre a criação de novas metodologias e ferramentas de intervenção.Seu objetivo é promover a contínua formação de profissionais que atuam no serviço de acolhimento, promovendo processos de reflexão coletiva sobre as ações e práticas cotidianas, bem como sobre a criação de novas metodologias e ferramentas de intervenção.

Na maioria dos casos, os profissionais que chegam até o serviço não possuem experiência na área e desconhecem todos os documentos que orientam o trabalho. A formação exigida para ser um educador, bem como a oferta salarial para estes cargos, acaba atraindo um número considerável de profissionais com baixa escolaridade e pouca experiência. Paralelo a isso, o trabalho junto às crianças e adolescentes que vivem ou viveram em situação de violação de direitos, coloca diariamente inúmeros desafios ligados a esta formação profissional, a clareza política que envolve o serviço, além de um cuidado constante para a condição emocional e afetiva dos profissionais.

Neste sentido, para que a legislação se torne uma prática permanente na instituição, sendo assegurados todos os direitos e deveres instituídos, torna-se necessário a constante capacitação e formação dos diversos atores que compõem este trabalho;  Esse investimento reverberará de maneira direta no desenvolvimento positivo da criança e do adolescente atendido.